quarta-feira, 16 de maio de 2018

PREVIDÊNCIA ANIMAL

         O Jaburu, presidente dos animais, juntamente com o Leão, seu Ministro da Fazenda, convocou a imprensa para uma coletiva a fim de informar sobre o déficit previdenciário, aparentemente existente na república animal. Falou que muito do "rombo" da previdência se deve à aposentadoria precoce das centenárias tartarugas, do expressivo salário-maternidade "dado" às coelhas, além dos inúmeros benefícios concedidos aos vira-latas, como o auxílio-exclusão. A bicharada ficou revoltada, sobretudo a galinha de granja, que trabalha em regime de escravidão, pondo 40 ovos por dez reais e tendo expectativa de vida de 8 semanas.
         O presidente Jaburu disse à população que não tinha o que temer, pois o Congresso Animal, formado por aves de rapinas, tinham pena, e não iriam curvar seus bicos diante desta grave situação. "Todos os animais (em suas questões) seriam devidamente apreciados", afirmou o seu ministro Leão.
         A discussão previdenciária, hoje, está pendente, até que se vote as eleições de outubro, que nesse pleito, tem proibida a candidatura de animais marinhos como Lula; e põe-se em dúvida outros bichos que venham da marina...
        O Jaburu pensa em pousar novamente no Planalto. Tucanos já escolheram seu candidato. Boisonaro quer tomar o poder. "Quem será o escolhido pela fauna de eleitores?" - pergunta a Esfinge. Quem não responder certo... Pode morrer.


Nenhum comentário:

Postar um comentário